Tupã exportou US$ 38 milhões neste ano

Economia


Mesmo com a falta de amendoim no mercado, a balança comercial tupãense teve saldo positivo de US$ 4,3 milhões no mês de setembro, melhorando ainda mais o superávit do município nas exportações.

O município exportou, nos nove primeiros meses  deste ano, a quantia de US$ 38.302.895,00. O montante representou aumento de 27,91% em relação a igual período de 2016, quando o município exportou o total de US$ 29.944.431,00. 

As importações aumentaram em 5,66% nos nove primeiros meses de 2017, em relação a igual período do ano passado. Entre os meses de janeiro a setembro de 2016, Tupã importou a quantia de US$ 1.880.572,00. Já no mesmo período deste ano, as importações foram de US$ 1.986.924,00. 

Dessa forma, a balança comercial tupãense apresentou um superávit de US$ 36.315.971,00, de janeiro a setembro de 2017, segundo os dados do MDIC (Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços).

Mês a mês

Em relação ao mês de setembro de 2016, as exportações efetuadas no mês passado mais que duplicaram, com um aumento de 165%. No mês de setembro de 2016, o município de Tupã exportou o montante de US$ 1.722.879,00. Em setembro de 2017, as vendas dos produtos tupãenses ao exterior somaram a quantia de US$ 4.549.930,00.

Já as importações aumentaram 1.190% (cerca de 12 vezes), na comparação entre os meses de setembro de 2016 e de 2017, quando a compra de produtos importados passou de US$ 22.246,00 para US$ 287.219,00.

Produtos 
exportados

O produto tupãense mais vendido para o exterior, nos nove meses deste ano, foi o amendoim, com US$ 28.876.777,00. Apenas este item representou 75,39% das exportações feitas pelo município.
Em segundo lugar nas exportações, ficaram as frutas e outras partes comestíveis de plantas, preparadas ou conservadas, com US$ 6.723.057,00, tendo uma participação de 17,55% no total exportado.
Na terceira colocação ficaram as tortas e outros resíduos sólidos da extração do óleo de amendoim, com o montante de US$ 1.367.303,00, correspondendo a 3,57% dos produtos exportados.

O quarto produto mais exportado pelo município de Tupã no período analisado foram os óleos de amen-doim e respectivas frações, mesmo refinados, mas não modificados quimicamente, com US$ 819.672,00, que corresponderam a 2,14% das vendas.
Na quinta colocação ficaram as miudezas comestíveis de animais das espécies bovina, suína, ovina, caprina, cavalar, asinina e muar, frescas, refrigeradas ou congeladas, com a quantia exportada de US$ 178.524,00. A participação deste item nas exportações foi de 0,47%.

Principais países

Quanto às exportações, os  principais países para onde os produtos tupãenses foram vendidos, entre os meses de janeiro a setembro de 2017, foram: 1º, Rússia, com US$ 11.095.534,00 (o país comprou 28,97% dos produtos exportados pelo município); 2º, Argélia, com US$ 5.683.342,00, com participação de 14,84% nas compras do período; em 3º, a Espanha, com US$ 4.205.914,00 (o país importou 11,98% dos produtos); em 4º lugar, Holanda, que investiu  a quantia de US$ 3.643.537,00 em compras, tendo  participação de 9,51% nas exportações; e, em 5º lugar ficou o Reino Unido, com US$ 2.271.343,00, importando 5,93% dos produtos.

Blocos

As exportações realizadas por Tupã, para os principais blocos econômicos, no período, foram: 1º, União Europeia, com US$ 12.783.295,00; 2º, Europa Oriental, com US$ 11.926.903,00; 3º, África, com US$ 5.724.355,00; 4º, Ásia, com US$ 2.629.382,00; e 5º, Aladi (Associação Latino Americana de Integração), com US$ 2.570.533,00. Os demais blocos importaram a quantia de US$ 2.668.427,00.

Importações

Os produtos mais comprados pelo município no exterior, nos primeiros nove meses de 2017, foram: 1º, amendoim crú, com a quantia de US$ 688.769,00, com participação de 34,67% no total de importações; 2º, partes e acessórios dos veículos automotores, com US$ 181.089,00 e participação de 9,11%; 3º, máquinas e aparelhos mecânicos, com função própria, com US$ 164.009,00, que representaram 8,25%; 4º,  aparelhos elétricos de iluminação ou sinalização, limpadores de pára-brisas, degeladores e desembaçadores elétricos, com US$ 163.612,00, que representaram 8,23%; e 5º, abrasivos naturais ou artificiais, em pó, ou em grãos, aplicados sobre materiais têxteis, com US$ 160.385,00, que representaram 8,07% das compras do município.

Principais países

Ainda em se tratando de importações ocorridas entre os meses de janeiro a setembro de 2017, os principais países fornecedores foram: 1º, Paraguai, com US$ 524.592,00, representando 26,40% das importações; 2º, China, com  US$ 332.587,00, com 16,74,% dos produtos comprados por Tupã;  3º, Estados Unidos, com US$ 222.750,00, com participação de 11,21%; 4º, Holanda, com US$ 215.417,00, com participação de 10,84%; e 5º, Alemanha, com US$ 130.893,00, correspondendo a 6,59% dos produtos comprados pelo município.

Blocos

As importações realizadas por Tupã, considerando os principais blocos econômicos, foram: 1º, Aladi (Associação Latino Americana de Integração), com US$ 653.968,00; 2º, Ásia, com US$ 618.877,00; 3º, União Européia , com US$ 457.088,00; 4º, Sem Agrupamento Específico, com US$ 233.803,00; e 5º, Oriente Médio, com US$ 23.188,00 (inalterado em seis meses).

Vale lembrar que os valores da pesquisa estão expressos em dólar (US$).

Sua notícia

Esta área é destinada para o leitor enviar as suas notícias e para que possamos inserí-las em nosso portal. Afim, da população ter informações precisas e atualizadas sobre os mais variados assunto

Envie a sua notícia por e-mail:

Todas as notícias

publicidade