Tupã: 90 anos: Município ainda precisa melhorar seus indicadores sociais

Geral


Tupã comemora no próximo sábado, dia 12, seus 90 anos de fundação. O município, que já foi considerado uma potência nacional nos anos 1950, enfrentou uma série de dificuldades político-econômicas e hoje observa sua população diminuir, lentamente, seja pela falta de emprego ou de novas oportunidades, principalmente entre o público mais jovem.
Para se manter como uma referência na região, o município precisa de melhores resultados em seus indicadores sociais.
Segundo pesquisa realizada pelo IPC Maps, neste ano foi registrada redução de 695 pessoas no município, passando de 65.791 habitantes em 2018, para 65.096  em 2019.
Conforme a pesquisa, o número de domicílios em Tupã apresentou baixa de 0,92%, passando de 23.714 no ano de 2018, para 23.494 no ano de 2019.
Os domicílios urbanos reduziram 1,04%, com queda de 22.943 no ano de 2018 para 22.703 no ano de 2019.
A presença de domicílios rurais aumentou 2,59%, passando de 771 no ano de 2018, para 791 neste ano.

Empresas
O número de empresas em Tupã apresentou aumento de 7,94% neste ano. De acordo com a pesquisa, no ano de 2018 o município contava com 9.943 empresas. Neste ano, são 10.733.
A presença de empresas do setor industrial apresentou alta de 10,07%, passando de 1.102 no ano de 2018 para 1.213, em 2019; setor de serviços, alta de 10,43%, passando de 3.670 para 4.063; comércio, alta de 6,11%, passando de  3.023 para 3.208; e empresas do setor agrobussines, aumento de 5,14%, passando de 2.139 para 2.249.
Segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), no ano de 2017, o salário médio mensal do trabalhador tupãense era de 2 salários mínimos. A proporção de pessoas ocupadas em relação à população total era de 27,9%. Na comparação com os outros municípios do Estado, ocupava as posições 457 de 645 e 179 de 645, respectivamente. Já na comparação com cidades do País todo, ficava na posição 1938 de 5570 e 614 de 5570, respectivamente. Considerando domicílios com rendimentos mensais de até meio salário mínimo por pessoa, tinha 30,3% da população nessas condições, o que o colocava na posição 386 de 645 dentre as cidades do Estado e na posição 4617 de 5570 dentre as cidades do Brasil. Como se observa, há uma péssima distribuição de renda.

Saúde
Segundo o IBGE, a taxa de mortalidade infantil média na cidade é de 15,03 para cada grupo de 1.000 nascidos vivos. As internações devido a diarreias são de 1,1 para cada 1.000 habitantes. Comparado com todos os municípios do Estado, fica nas posições 168 de 645 e 140 de 645, respectivamente. Quando comparado a cidades do Brasil todo, essas posições são de 1917 de 5570 e 2285 de 5570, respectivamente.

População
alfabetizada

De acordo com o IPC Maps, a população alfabetizada em Tupã apresentou baixa de 1,50%, passando de 58.440 pessoas em 2018, para 57.558, neste ano. Também neste quesito, parece que há necessidade de medidas mais efetivas.
Os números mostram que, embora seja um município bom de se viver, com boas perspectivas, carece de medidas resolutivas mais eficazes por parte de seus administradores, que nas últimas décadas não apresentaram planos de longo prazo voltados para a melhoria da qualidade de  vida de seus pouco mais de 60 mil moradores.

Sua notícia

Esta área é destinada para o leitor enviar as suas notícias e para que possamos inserí-las em nosso portal. Afim, da população ter informações precisas e atualizadas sobre os mais variados assunto

Envie a sua notícia por e-mail:

Todas as notícias

publicidade