Trânsito: Trechos de ruas poderão receber novas sinalizações

Geral


O município de Tupã não passa um dia sem registrar um acidente de trânsito. O trânsito congestionado e a desatenção de muitos motoristas são os principais fatores que contribuem para o aumento dessa estatística no município.

Segundo os últimos dados da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo, entre os meses de janeiro a agosto deste ano, foram registrados 272 casos de lesão corporal por acidente de trânsito em Tupã. A média é de 34 casos por mês.
A frota municipal também contribui com os vários pontos de engarrafamento no trânsito, registrados, principalmente, nos horários de pico. Segundo dados do Denatran (Departamento Nacional de Trânsito), o município possui 55.355 veículos. Divididos entre 65.524 habitantes, se tem a média de 1,18 veículo por habitante, de acordo com a última estimativa do IBGE (Instituto de Geografia e Estatística) divulgada para este ano de 2019. O município tem média de quase um veículo por habitante.

Para melhorar a mobilidade urbana no município, a Secretaria Municipal de Obras e Trânsito busca implementar projetos que possam facilitar a vida dos tupãenses no trânsito.
A prefeitura tentou organizar o trânsito na região central com uma remodelação na sinalização ocorrida há cerca de 11 anos. Muitas ruas se transformaram em mão única  de direção e, na maioria das ruas centrais, é proibido convergir à esquerda. A medida pode até ter dado a impressão de ter organizado o trânsito, mas aglomerou o fluxo de veículos em algumas ruas. Com a proibição de conversão à esquerda, a maioria dos motoristas utiliza praticamente o mesmo caminho, o que aumenta os pontos de aglomeração. É o caso da pior esquina da cidade, na Tamoios com Carijós, que apesar da dificuldade de se passar pelo local nos horários de pico, muitos motoristas ainda utilizam a via como um dos principais acessos para se chegar à região central da cidade. O cruzamento recebe dezenas de pedestres.

Quem segue pela Rua Carijós, sentido Avenida Tamoios, encontra dificuldades para visualizar os veículos que descem ou sobem pela principal rua comercial da cidade. No local existe uma marcação de área de conflito, que nem todos os motoristas respeitam. Para não parar em cima da demarcação, outros motoristas param na faixa de pedestres, complicando ainda mais o trânsito.

O secretário Municipal de Obras e Trânsito, Valentim Bigeschi, disse que a pasta possui estudo, que será analisado pelo Conselho Municipal de Trânsito, sobre a possibilidade de uma nova sinalização no local. “Mas 90% dos problemas que ocorrem no local é questão do motorista e não somente do trânsito. É um ponto complicado nos horários de pico”, afirmou. “O problema é que o local é um ponto de muito movimento, mas é uma via do tamanho normal em relação às outras da cidade. O trânsito no local é confuso e registra muitos acidentes”, acrescentou.

Bigeschi explicou que a secretaria tem projetos para serem implantados em outros cruzamentos da cidade, como nas proximidades do Supermercado Avenida, na esquina da Rua Ubirajaras com a Avenida Tabajaras.
O secretário explicou que esses projetos serão apresentados e discutidos com o Conselho Municipal de Trânsito e depois com os técnicos da prefeitura, para depois explicar a sua implantação nas ruas da cidade. O processo para ser aprovado dependerá da deliberação do conselho e dos técnicos da prefeitura, o que poderá levar algum tempo para ser executado nessas regiões.

Sua notícia

Esta área é destinada para o leitor enviar as suas notícias e para que possamos inserí-las em nosso portal. Afim, da população ter informações precisas e atualizadas sobre os mais variados assunto

Envie a sua notícia por e-mail:

Todas as notícias

publicidade