Pandemia: Em Tupã, mais de 780 empregos foram extintos em três meses

Economia


10/7/2020 - A pandemia do novo coronavírus (Covid-19) acumula reflexos preocupantes no nível de emprego em Tupã. De março - mês em que as atividades consideradas não essenciais foram interrompidas - até maio deste ano, 785 vagas com carteira assinada foram extintas na cidade, segundo dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), divulgado pela Secretaria de Trabalho do Ministério da Economia, com base em dados fornecidos pelas empresas. Esse resultado foi impulsionado principalmente pelos setores de serviços, comércio e indústria.
Para se ter ideia do impacto da pandemia, no mesmo período do ano passado, mesmo em meio a um momento de pouco aquecimento da economia, o município havia gerado 1.501 novos postos de trabalho. O desempenho neste ano, porém, acompanha uma tendência nacional. No Brasil, foi contabilizada a extinção de 1,487 milhão de vagas de março a maio, sendo 460 mil somente no Estado de São Paulo.

Em Tupã, o setor de serviços foi o mais afetado pelo fechamento temporário dos estabelecimentos. Segundo o Caged, neste segmento foram extintos 721 postos com carteira assinada no trimestre, seguido pelo comércio, que fechou o período com a redução de 523 vagas. Já a indústria registrou perda de 352 vagas.

Cenário
Vale lembrar que o comércio e serviços amargaram os piores resultados em razão das restrições impostas pelo poder público, com proibição integral ou parcial de funcionamento em fases distintas do enfrentamento à pandemia. O que chama atenção, contudo, é que abril concentrou o maior volume de demissões - foram 318 postos fechados somente naquele mês.
Foram diversos os motivos que permitiram um cenário menos devastador após 100 dias da imposição de regras de distanciamento social. Um deles foram as medidas adotadas pelo governo federal, como a prorrogação do pagamento de impostos por empresas, especialmente as pequenas, o financiamento da folha de pagamento com baixas taxas de juros e o auxílio emergencial, que garantiu um mínimo de consumo a quem ficou sem renda.
Para superar a crise, muitos empresários reinventaram seus negócios, desde o mix de produtos oferecido até o canal de vendas - redes sociais, lojas virtuais e WhatsApp -, que garantiram, no mês de maio, uma venda bem maior que abril para muitos segmentos.

Mesmo com a reabertura do comércio, ainda não há estimativa para recuperação, mesmo que pequena, do nível de emprego em Tupã.
Perfil
O Caged também trouxe o detalhamento do perfil do trabalhador que foi mais afetado pelo desemprego no trimestre. Quanto à faixa etária, os que tinham, em sua maioria, entre 18 e 24 anos, foram os mais atingidos, com saldo negativo de 580 empregos. Já em relação ao nível de escolaridade, os principais alvos de demissão foram os que tinham ensino médio completo que representaram um saldo negativo de 183 demissões no trimestre analisado.
Nesse cenário, os gestores tentaram, por um lado, cortar funcionários que recebiam altos salários e, por outro, manter os que possuíam maior capacidade de contribuir com a superação deste momento de crise.

Sua notícia

Esta área é destinada para o leitor enviar as suas notícias e para que possamos inserí-las em nosso portal. Afim, da população ter informações precisas e atualizadas sobre os mais variados assunto

Envie a sua notícia por e-mail:

Todas as notícias

publicidade