Doze anos depois e com Weverton ‘santo’, Palmeiras é campeão paulista contra o Corinthians nos pênal

Esportes


10/8/2020 - O número 12 para o palmeirense é especial e se tornou santo. No sábado, às 16h30min, na Arena Allianz Parque (sem a presença de torcedores), e com o mesmo Vanderlei Luxemburgo da Silva no comando, o Palmeiras voltou a ser campeão do Campeonato Paulista de 2020.
Derrotado pelo Corinthians na tumultuada decisão de 2018, o Verdão, de maneira dramática, venceu a revanche contra o arquirrival ao ganhar nos pênaltis por 4 a 3 após empate por 1 a 1 no tempo normal.
Sofrido, e nos pênaltis, o goleiro Weverton pegou duas cobranças, garantindo o troféu.
O camisa 1 apareceu no momento certo, como fazia Marcos em grandes decisões, principalmente contra o Corinthians. O eterno camisa 12 completou 47 anos na semana em que dois dérbis decidiram o Paulistão.
O goleiro da última vez com Vanderlei Luxemburgo era Marcos, capitão. Em 2020, Weverton entra, de vez, na galeria de históricos goleiros do Palmeiras.
O primeiro tempo de Palmeiras e Corinthians na Arena Allianz Parque não foi diferente do que os times apresentaram na Arena Itaquerão no empate de 0 a 0. Um jogo de pouca criatividade, muita marcação e com raras chances de gol.
A melhor delas saiu aos 5 minutos pelo lado verde. Zé Rafael fez jogada na esquerda, entrou na área e, mesmo desequilibrado, encontrou Willian ‘Bigode’. O camisa 29 chutou à queima-roupa e Cássio fez uma grande defesa.
A partir daí o clássico voltou a ter troca de passes para os dois lados, sem efetividade. O Timão apareceu em um contra-ataque aos 28 minutos. Após erro de Zé Rafael, Luan encontrou Jô na área e o atacante precisou finalizar duas vezes para superar Weverton, porém estava impedido.
Com os times jogando sem correr grandes riscos, os goleiros Weverton e Cássio não tiveram muito trabalho até o final da etapa inicial.
Para o segundo tempo, Vanderlei Luxemburgo e Tiago Nunes resolveram trocar as peças. Everaldo entrou no alvinegro enquanto Rony e Bruno Henrique ganharam chances do outro lado.
A primeira oportunidade, dessa vez, tirou o zero do placar. O lateral esquerdo uruguaio Matías Viña acertou um cruzamento perfeito para Luiz Adriano aos 4 minutos. O centroavante cabeceou no canto direito de Cássio, que se esticou e não conseguiu chegar: 1 a 0. Depois de três tempos da final, o Verdão saiu na frente da decisão.
Luiz Adriano chegou ao nono gol na Arena Allianz Parque em 12 jogos. O atacante é dono da maior média de gols no estádio, com 0,75.
Depois do gol sofrido o Corinthians limitou-se a jogar bola na área, mas sempre parou na defesa bem postada do Palmeiras. Até que no último lance, aos 50 minutos, já nos acréscimos, Sidcley cruzou, Jô dominou e sofreu pênalti do zagueiro paraguaio Gustavo Gómez. O atacante cobrou e deixou tudo igual (1 a 1), levando a decisão para os pênaltis.
Nas penalidades, Weverton pegou duas cobranças do Corinthians feitas por Michel Macedo e Victor Cantillo, enquanto que Danilo Avelar, Sidcley e Jô converteram. Nas cobranças do Palmeiras, Bruno Henrique perdeu com defesa de Cássio, e Raphael Veiga, Gustavo Scarpa, Lucas Lima e Patrick de Paula marcaram.
PALMEIRAS – Weverton, Marcos Rocha, Felipe Melo, Gustavo Gómez e Matías Viña; Patrick de Paula, Gabriel Menino (Bruno Henrique, no intervalo) e Ramires (Rony, no intervalo); Willian ‘Bigode’ (Lucas Lima), Zé Rafael (Raphael Veiga) e Luiz Adriano (Gustavo Scarpa). Técnico Vanderlei Luxemburgo da Silva.
CORINTHIANS – Cássio, Fagner (Michel Macedo), Gil, Danilo Avelar e Carlos Augusto (Sidcley); Gabriel (Victor Cantillo) e Éderson; Ramiro (Araos), Luan e Mateus Vital (Everaldo, no intervalo); Jô. Técnico Tiago Nunes.
Luiz Flávio de Oliveira, da FPF, foi o árbitro, com trabalho que não comprometeu.

Sua notícia

Esta área é destinada para o leitor enviar as suas notícias e para que possamos inserí-las em nosso portal. Afim, da população ter informações precisas e atualizadas sobre os mais variados assunto

Envie a sua notícia por e-mail:

Todas as notícias

publicidade