Confirmado segundo caso da doença este ano

Geral


Na sexta-feira, o setor de Vigilância Epidemiológica confirmou o segundo caso de dengue em Tupã neste ano. Um homem de 31 anos foi contaminado pelo “Aedes” e desenvolveu a doença. Ele mora no Jardim Guarani, na região Leste. 
O primeiro caso de dengue este ano ocorreu em uma criança de 1 ano e meio, moradora no Parque Ibirapuera, também na região Leste da cidade, o que já começa a preocupar os moradores daquela região. 
Por isso, a Secretaria Municipal de Saúde segue ininterruptamente com as ações de prevenção e combate ao “Aedes aegypti”, transmissor de dengue, febre chikungunya e zika vírus.
O objetivo da pasta é evitar a proliferação destas doenças, mantendo-as sob controle. Nenhum caso de chikungunya e zika vírus foi registrado este ano no município. 
Na região Leste, os agentes comunitários de saúde e os agentes de combate a endemias estão executando os trabalhos de bloqueio e controle de criadouros e busca ativa de suspeitos. As ações também incluem a nebulização com inseticida e a intensificação do trabalho de orientação, conscientização porta a porta e nas unidades de saúde.
Os trabalhos realizados pela Secretaria Municipal de Saúde vêm reduzindo drasticamente o número de casos de dengue em Tupã. No ano de 2016, foram confirmados 106 casos, sendo 42 somente no período de janeiro a março. Já em 2017, durante todo o ano, foram notificados apenas 6 casos. O intuito é que em 2018 a proliferação do “Aedes aegypti” continue sob controle.

Prevenção
A enfermeira do setor de Combate a Endemias, Juliana Yuri Ueji Begnossi, reforça que a principal forma de combate ao “Aedes aegypti” continua sendo a prevenção.
Além das ações da prefeitura, com manutenção e limpeza das áreas públicas, a população tem também um importante papel no combate ao “Aedes”. “Pedimos a compreensão e colaboração da população. É importante que os moradores recebam os agentes e, quando houver necessidade de nebulização, abram todos os cômodos da casa para uma melhor eficácia do inseticida”, orientou.
Outras medidas também contribuem para evitar as doenças transmitidas pelo "Aedes", como uso de repelentes, camisas de manga longa, calças, além da instalação de telas em portas, janelas e ralos.
Ao apresentar qualquer sintoma característico da doença, como febre alta, dor de cabeça, no fundo dos olhos ou nas articulações, a pessoa deve procurar atendimento médico imediatamente. 

Sua notícia

Esta área é destinada para o leitor enviar as suas notícias e para que possamos inserí-las em nosso portal. Afim, da população ter informações precisas e atualizadas sobre os mais variados assunto

Envie a sua notícia por e-mail:

Todas as notícias