Coleta seletiva ainda precisa de maior colaboração

Geral


A Prefeitura de Tupã, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, pede o apoio dos munícipes para a separação correta dos diferentes tipos de lixo. Dessa forma, é possível evitar transtornos para a população e o meio ambiente e, ainda, contribuir para o trabalho dos recicladores. 
A coleta seletiva constitui-se na separação dos materiais recicláveis, como papéis, plásticos, metais e vidros. Eles são separados do lixo orgânico (frutas, legumes, carnes, arroz, etc.). Esses materiais podem ser reutilizados para a fabricação de matérias-primas e outros produtos de consumo. Já o lixo orgânico é descartado em aterros sanitários ou servem para adubo. 
Em Tupã, o material reciclável é coletado das ruas e levado para um galpão (Cooperativa de Trabalho dos Recicladores de Tupã - Cooretup), onde ocorre a separação em vidro, papel, plástico e metal. “A média é de 10 toneladas por dia de coleta seletiva. É uma boa média, porém, podemos melhorar. Por isso, estamos trabalhando pesado na conscientização”, declarou o secretário de Meio Ambiente, Anderson Pereira. 
Ainda segundo as informações, são 51 auxiliares operacionais (coletores), e 11 motoristas do setor de coleta de lixo orgânico diurno e noturno, e a reciclagem. “O maior problema encontrado hoje é o descarte de forma irregular, o que proporciona pouca eficiência na separação”, finalizou o secretário. 
Vale destacar que a coleta seletiva é de extrema importância para o planeta e traz grandes benefícios, sendo, portanto, necessário que a população contribua separando seu lixo.

Sua notícia

Esta área é destinada para o leitor enviar as suas notícias e para que possamos inserí-las em nosso portal. Afim, da população ter informações precisas e atualizadas sobre os mais variados assunto

Envie a sua notícia por e-mail:

Todas as notícias