Censo 2020: IBGE inicia coleta de dados em agosto

Geral


13/2/2020 - O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) se prepara para realizar o Censo Demográfico 2020, previsto para ser a maior operação de recenseamento já organizada no País.
As coletas dos dados para o novo censo serão iniciadas no dia 1º de agosto, com previsão de término para o mês de outubro.
De acordo com o IBGE, as pessoas nascidas depois do dia 31 de julho não serão incluídas no recenseamento.  Entretanto, serão incluídas as pessoas falecidas depois de 31 de julho que residiam no domicílio na data de referência do Censo 2020.
Para realizar o censo, o cronograma geral abrange mais de 2 mil atividades interdependentes. Serão recenseadas as pessoas residentes no Território Nacional, inclusive as que se encontrarem temporariamente ausentes do País na data de referência.
Os habitantes indígenas serão recenseados tanto em suas terras como fora delas. As terras indígenas são definidas como áreas especiais para efeito do censo demográfico.
Os tripulantes de navios e aviões brasileiros no estrangeiro serão recenseados no domicílio onde residem no País. Os estrangeiros em trânsito (turismo, férias, negócios, trabalho, entre outros), presentes no País na data do Censo 2020, não serão incluídos na população residente.

Coleta de dados
No Censo 2020, a coleta de dados será informatizada com a utilização de dispositivos móveis de coleta e de questionários online. Os questionários serão coletados em meio digital, com georreferenciamento dos locais de coleta e armazenados em bancos de dados.

Resultados

Os resultados preliminares do Censo 2020 serão divulgados a partir da segunda quinzena do mês de dezembro. Os resultados finais e análises, a partir do segundo semestre de 2021 até o início de 2023. Os resultados serão apresentados no portal www.ibge.gov. br e através de publicações, banco de dados, aplicativos e outros meios de consulta de dados.

Utilização dos
resultados

Os resultados do Censo 2020 vão refletir a realidade brasileira, fornecendo um retrato atualizado do Brasil. Seus dados serão utilizados em programas e projetos que vão contribuir para estudar o crescimento e evolução da população ao longo do tempo; identificar áreas de investimentos prioritários em saúde, educação, habitação, transportes, energia, programas de assistência a crianças, jovens e idosos; selecionar locais que necessitam de programas de estímulo ao crescimento econômico, como instalação de polos industriais; definir a representação política no País, indicando o número de deputados federais, deputados estaduais e vereadores de cada Estado e município e fornecer subsídios ao Tribunal de Contas da União para o estabelecimento das cotas do Fundo de Participação dos Estados e Municípios.

Edital
O edital do concurso público do IBGE, para mais de 200 mil vagas pelo País, só deverá ser publicado no início de março, segundo nova previsão oficial divulgada na última terça-feira, dia 11, pelo órgão.
A previsão anterior era que o edital seria publicado ainda em fevereiro.
Anunciado em maio de 2019, o processo seletivo irá contratar trabalhadores temporários para trabalhar no Censo Demográfico 2020 para os cargos de recenseador e agente censitário.
Segundo informou o IBGE, o Cebraspe (Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos) foi definido como a banca organizadora do concurso e a assinatura do contrato deve ser feita ainda nessa semana, o que deverá garantir a publicação do edital logo no início de março.
Portaria publicada em maio pelo governo federal autorizou o IBGE a contratar até 234.416 trabalhadores temporários para trabalhar no Censo Demográfico 2020. Somadas as posições autorizadas a serem preenchidas nos cargos de agente censitário e recenseador, o número de vagas do concurso pode chegar a até 225.678.
Vagas previstas pela portaria publicada em maio de 2019: agente censitário municipal, 6,1 mil; agente censitário supervisor, 23.578; e recenseador, 196 mil. Vale lembrar que detalhes sobre o número exato de vagas para cargo e remuneração só serão conhecidos com a publicação do edital.
Para os cargos de coordenador censitário subárea e agente censitário operacional, cujo processo seletivo já está na fase final, o número de vagas abertas (2.658) ficou um pouco abaixo do limite autorizado pelo governo (3.210). O edital lançado em setembro abriu 1.343 vagas para coordenador censitário subárea (nível superior) e 1.315 vagas para agente censitário operacional (nível médio), distribuídas pelas 27 unidades da Federação. Os salários foram fixados em R$ 3.100 para coordenador e de R$ 1.700 para agente.

Sua notícia

Esta área é destinada para o leitor enviar as suas notícias e para que possamos inserí-las em nosso portal. Afim, da população ter informações precisas e atualizadas sobre os mais variados assunto

Envie a sua notícia por e-mail:

Todas as notícias

publicidade